Tabela Chinesa – original, verdadeira, como funciona

O desejo de saber se o bebê é menino ou menina costuma consumir de curiosidade muitos pais e essa resposta só pode ser dada pelo ultrassom a partir do quarto ou quinto mês de gestação. Muitas vezes, a posição do bebê não favorece e o suspense é mantido quase até o momento do parto.

Uma solução milenar para sanar essa curiosidade é a Tabela Chinesa. Trata-se de uma prática que se iniciou com a Dinastia Qing e que se baseia na posição dos astros quando o óvulo é fecundado. De acordo com essa crença chinesa, que ainda é respeitada nos dias de hoje, dá para saber com certeza se o bebê que está a caminho é menino ou menina e muita gente relata que a tabela funciona, de fato.

Vale salientar que, há 300 anos, apenas a realiza da Dinastia Qing tinha acesso a essa Tabela Chinesa. Com o passar do tempo, mais pessoas aprenderam a fazer os cálculos para descobrir o sexo da criança que estava por vir. Inclusive, uma das bases desse cálculo é a famosa dicotomia de Ying e Yang.

Na realidade, essa tabela foi encontrada em uma tumba antiga, entalhada em uma pedra que pode ser vista no Instituto de Ciência de Pequim. A razão para a Tabela Chinesa ter tanta atenção até dos cientistas é que a sua eficácia chega a 80%, desde que as informações usadas no cálculo sejam precisas.

Como usar a Tabela Chinesa

Para saber o sexo do bebê usando a Tabela Chinesa, será necessário saber antes o mês em que a mulher engravidou e a sua idade lunar. Importante deixar claro que a idade lunar e a idade cronológica são coisas diferentes, como ainda será explicado: por isso, uma mulher com 34 anos cronológicos não tem, necessariamente, 34 anos na idade lunar.

Uma vez que é preciso saber com exatidão o mês em que a fecundação ocorreu, mulheres que não têm essa informação não devem usar a Tabela Chinesa porque o seu resultado será incerto.

Primeiro, é importante aprender como descobrir a idade lunar.

Funciona assim:

quem nasceu nos meses de janeiro e fevereiro realmente têm o mesmo número para idade cronológica e lunar. Já quem nasceu nos outros meses do ano precisa somar o número 1 à idade cronológica.

É necessário um cuidado especial no caso de a futura mamãe ter nascido de forma prematura. Nesses casos, deve-se usar como base o mês para o qual o nascimento estava programado e não o mês do parto prematuro. Alguns exemplos:

  • Uma mulher que nasceu em 14 de fevereiro de 2000 tem idade lunar de 19 anos em 2019;
  • Uma mulher que nasceu em 14 de junho de 2000, por outro lado, tem idade lunar de 20 anos (19 + 1);
  • Já uma mulher que nasceu prematura em novembro, mas deveria ter nascido em fevereiro não precisará adicionar o 1 à sua idade cronológica.

Sabendo o mês em que a fecundação aconteceu e a idade lunar da mãe, é só consultar a Tabela Chinesa. Essa tabela tem quadradinhos em azul e em rosa, com os símbolos do sexo masculino e feminino; na barra superior, as mulheres selecionam o mês da fecundação. Na coluna à esquerda, elas selecionam a sua idade lunar. Cruzado essas duas informações, descobre-se o sexo do bebê.

Por exemplo:

uma mulher que engravidou em março e tem idade lunar de 35 anos terá uma menina. Já uma mulher que ficou grávida em setembro e tem idade lunar de 20 anos dará à luz a um menino.

É essencial destacar que a idade lunar considerada deve ser aquela do momento da fecundação. Caso a mulher tenha feito aniversário depois de engravidar e resolvido consultar a Tabela Chinesa, ela deve contar a idade lunar que tinha no período em que ficou grávida.

Outras formas de calcular o sexo do bebê

De acordo com a tradição chinesa, há também outras formas de saber o sexo do bebê que está a caminho e elas usam fórmulas matemáticas. Todavia, são fórmulas simples, que usam a idade da mãe na hora da fecundação e alguns números fixos.

O primeiro método é chamado de cardinal e funciona da seguinte forma:

  • Soma-se sempre o número 49 ao mês da gravidez, subtrai-se a idade cronológica da mãe e soma-se o número 19.

Para exemplificar: suponha-se que uma mãe ficou grávida no mês de agosto e que ela tem, cronologicamente, 28 anos. A fórmula será a seguinte: 49+8-28+19; o resultado será 48 e, como não há número ímpar, define-se que o sexo do futuro bebê é feminino.

Outra forma de cálculo cardinal é a seguinte:

  • Soma-se o número 49 ao mês de gestação da mãe e subtrai-se a idade no dia do parto.

Para exemplificar: uma mulher que está no primeiro mês de gestação e terá 31 anos no dia do parto. A fórmula será a seguinte: 49+1-31; o resultado será 19 e, por ser um número singular, o sexo do futuro bebê é masculino.

Cálculo do sexo do bebê por idade

O cálculo do sexo do bebê por idade é mais uma das metodologias tradicionais chinesas para saber se nascerá um menino ou uma menina. Nela, a idade do pai também é contabilizada e é preciso incluir uma divisão no cálculo.

A fórmula será a seguinte: idade dos pais no momento da concepção somada aos meses de gestação e dividido por três.

Para exemplificar: se o pai tem 30 anos, a mãe tem 27 anos e o cálculo está sendo feito no sexto mês de gestação, a fórmula será 30+27+6, tudo dividido por 3. O resultado será 21 e, sendo um número ímpar, o bebê é do sexo masculino.

Outra forma de calcular envolve, novamente, um número fixo: soma-se 68 ao mês da gravidez e subtrai-se a idade da mãe na concepção.

Para exemplificar: se a mãe ficou grávida em outubro e tinha 20 anos, então o cálculo será 68+10-20, com resultado 58; por ser um número par, então o bebê a caminho é uma menina.

Leia também: Calculadora menino ou menina

Cálculo do ciclo de gestação

Diz respeito ao cálculo de quando, provavelmente, o bebê vai nascer. Há algumas informações que permitem aos médicos e às gestantes saber quando o nascimento ocorrerá:

BASEANDO-SE NO ÚLTIMO PERÍODO MENSTRUAL – é a informação na qual a calculadora gestacional se baseia para dizer o futuro nascimento.

BASEANDO-SE NA DATA DO MOVIMENTO FETAL – o bebê começa a se mexer no útero entre a 18 e a 20 semana. Retroagindo o tempo, dá para estipular a primeira semana e, consequentemente, a última semana.

BASEANDO-SE NA CURVA DA TEMPERATURA CORPORAL BASAL – a ovulação feminina acontece no dia da secção dessa curva.

VERIFICAÇÃO DE ULTRASSONOGRAFIA MODO B – diz respeito ao diâmetro duplo da cabeça do bebê. Como esse diâmetro aumenta gradativamente, a medida em determinado momento permite ao médico descobrir as semanas de gravidez.

BASEANDO-SE NO INÍCIO DOS SINTOMAS – os enjoos são sintomas clássicos da gravidez e começam a ser sentir a partir da sexta semana. Basta retroagir no tempo para chegar à semana da fecundação.

Detecção e determinação

Mais uma forma de descobrir quando houve a fecundação é contar o nível de hormônios na placenta: quanto mais hormônios, mais avançada está a gestação. Os exames de urina e de sangue funcionam exatamente com a contagem desses hormônios:

  • Para urina – detecção ocorre a partir do 12 dia de gravidez;
  • Para sangue – detecção ocorre a partir do sexto dia de gravidez

Tipos de parto

As gestantes podem dar à luz por meio do parto natural ou da cesárea. O natural é chamado assim porque é intrínseco a todas as espécies: o órgão genital feminino começa um processo de dilatação que chega até os 10cm a fim de que o bebê possa passar.

Apesar de o parto natural gerar um pouco de medo às gestantes porque pode durar várias horas e a dor é intensa, esse é o método de nascimento mais seguro para mãe e bebê, inclusive garantindo à primeira uma rápida recuperação. Para que o parto normal ocorra, é necessário que o corpo da gestante produza em quantidade suficiente o hormônio ocitocina.

Já a cesariana é uma cirurgia simples, com anestesia local, para retirar o bebê. É muito indicada quando a mãe não tem dilatação suficiente ou quando existe algum risco no parto normal.

Está ansiosa para saber se seu bebê é menino ou menina? Basta usar a Tabela Chinesa a seguir e há um tutorial sobre ela aqui no site.